Sela








































































Textos

La fiesta del mono capuchino (A festa do macaco prego)

Sela

No caminho de Peabiru o macaco cantava assim:
Eu vou dar uma festa
eu vou convidar, ieeieu...ieeeiieeu
o Saci-Pererê, a Iara, também o Sepé Tiarajú, o Boto, a Cobra-grande, o Caipora, também os Gêmeos Sol e Lua,
a Vitória Régia vai fazer a decoração, o Colibri vai lhe ajudar, vem Mani, Avati, Arakuni vai fazer Kulupienê, a Piragui vai te encantar,
São João da Cruz vem pra benzê.
Tem lugar pra todo mundo, vem gente das Quatro Direções Sagradas, até os Bois vem de lá do Parintins, Negrinho do Pastoreio vai lhes buscar,
a Cuca diz que vai se comportar...
Eu vou dar uma festa, venham todos, festa boa não tem hora pra acabar.
O local é no teu Centro, de caminho pra Tery Maräe-ÿ.
Vai ser de lascar, todo o mundo vai se encontrar,
não fique sozinho na casinha pequeninha.
O Folharada vai fazer Beijú nas Panelas Cantoras dos Waurá.
Não Perca!
O Uirapuru vai cantar e os Mbyá vão dançar.
Hó seu João-de-barro, venha e traga sua companheira, deixa de ciumeira!
Vai ter concerto de Flautas Kamayurá!
O Tuiuiú chega amanhã do Pantanal com notícia boa de lá
A Festa vai ser de lascar, é capaz de nem terminar!
Não precisa se importar, aqui mesmo você vai se encontrar
e nada vai lhe faltar.
Vem brindar a Pindorama pra Cobra-canoa não virar.
Todas as mulheres vou convidar
porque o Lua vem namorar!

Poema publicado no livro 6º Conto e Poesia, do Sinergia (Florianópolis, SC, 2008).



©2006 Selapintura.com

[Português] [English] [Español] [Português] [English] [Español]

[Sector de ayuda]